Páginas

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

UA: Top 10 de 2016

Como todo ano, algum grupo de blogs faz uma retrospectiva coletiva, e este ano não seria diferente. Dessa vez, resolvi participar da retrospectiva do Universo Alternativo, grupo de blogueiras e pessoas um tanto quanto fora do padrão, seja em vestimenta, em atitude, you name it.

A Jaqueline, do 4sphyxi4, propos que fizessemos um Top 10 de 2016. Eis a descrição oficial:
Aqui estou eu com a ideia de nos reunirmos durante este mês de Dezembro e elaborarmos uma postagem coletiva pensando sobre este ano de 2016. (Foi sofrido pra todo mundo, pelo que estou vendo, heuhe! Então, bora relembrar as coisas boas!).

O Top 10 é simples, basta escreverem em seus respectivos blogs, as 10 coisas mais marcantes de seu ano! Pode ser um livro, um filme, um passeio, uma experiência, uma viagem, uma cor... enfim, os critérios de escolha são livres e pessoais!

Os créditos serão dados ao grupo Universo Alternativo e ao blog 4sphyxi4. Todos os participantes serão linkadas em todos os posts! Deixem os links de vocês no feed do evento para que possamos linkar umas as outras! ♥
Não vou fazer numa ordem de pior pro melhor ou qualquer coisa assim, porque acredito que a maior parte das coisas tem um peso igual, ou pelo menos muito próximo, na minha felicidade esse ano. Pois então, bora conferir o que rolou de bom em 2016?

Consegui um estágio

Eis uma coisa que eu nunca achei que ia acontecer: encontrar um estágio numa empresa muito legal, com gente muito bacana e fazer uma parada que eu amo de paixão (escrever). Agradeço muito ao portal Consulta Remédios por ter me acolhido e me dado essa experiência maravilhosa logo no meu primeiro estágio. ♥

Meu batismo na Umbanda



“Saravá, Oxalá! Epa babá! Tenho a cabeça lavada. Fiz meu batismo na Umbanda, hei de louvar os meus guias”. O batismo na Umbanda é o momento no qual você entrega sua cabeça espiritual (ori) ao seu Orixá (santo) de cabeça, ou seja, aquele que te protege e te influencia com mais força, o responsável por você durante essa encarnação. Também é quando você entrega sua confiança no terreiro que você escolheu trabalhar e nos guias responsáveis pela casa. É um momento mágico e lindo, que promove uma conexão profunda com o divino.

Quem sabe esse tenha sido o melhor dia da minha vida, embora faça parte de uma das piores semanas do ano.

Menino Erico

Em 2016, a vida me apresentou meu atual namorado, Erico. Eu já sabia quem ele era fazia alguns anos, seguia no Instagram e soltava um suspiro toda vez que ele postava uma foto nova, mas nunca tentei me aproximar dele por... bem, motivos.

Porém, como o mundo dá voltas, acontece que ele começou a se aproximar de mim. Numa época meio louca da minha vida, porque eu tinha acabado de terminar um namoro (daqueles meio bosta que faz você não querer ter nada com ninguém nunca mais) e eu estava lidando com umas paradas meio tensas que estavam tomando todo o meu tempo, e que felizmente acabou. Enfim, eu tinha todos os motivos do mundo pra afastá-lo e não deixar ele entrar na minha vida, mas uma voz dentro de mim me dizia pra não fazer isso e, por algum motivo, eu resolvi ouvir essa voz e deixei acontecer (naturalmente ♫).

Gosto muito do relacionamento que tenho com esse moço. Tenho sentimentos bem fortes e firmes por ele e, mesmo com as dificuldades, eu tenho certeza que tô no lugar certo, com a pessoa certa, na hora certa. Até onde isso vai, ninguém pode dizer. Mas, se depender de mim, o carinho, respeito e admiração que eu tenho por ele vai durar pra sempre.

Motionless in White



Uma consequência de ter conhecido o menino Erico foi ouvir Motionless in White. Anos atrás, quando eles lançaram o clipe de Creatures, eu gostava muito de metalcore mas, por algum motivo, tinha preconceito contra essa banda. Lembro até hoje de sempre ver o thumbnail do vídeo nos relacionados o YouTube, mas nunca cliquei. Pra não dizer que nunca tinha ouvido antes, já conhecia a música Abigail, que não é uma das minhas favoritas e acho que foi justamente por só conhecer ela que eu tinha uma certa relutância em ouvir a banda.

Porém, como explicado nesse post aqui, acabei ouvindo outras paradas da banda e viciando. Hard. Não chega a ser minha banda favorita — não tenho um banda favorita —, mas certamente é uma que eu aprecio bastante.

Prudentópolis

No começo do ano, viajei com minha família para a Terra das Cachoeiras Gigantes aqui no Paraná, uma cidade chamada Prudentópolis. A cidade, em si, não era a atração principal da viagem, mas devo admitir que a colonização ucraniana chamou a atenção pela culinária e pelas igrejas ortodoxas. O motivo da viagem era, obviamente, visitar as cachoeiras. Grande parte delas ficava dentro de áreas privadas e, por isso, tivemos que pagar uma pequena quantia para entrar, mas era um valor bem tranquilo (na época, 10 reais) e não faltou no fim das contas.



Entramos em diversas trilhas para chegar no topo dos saltos (cachoeiras), e era sempre uma aventura mais gostosa que a outra. Foram dois dias fazendo trilhas pra chegar no topo de cachoeiras gigantes e observar esse mundão. Só teve uma que a gente desceu até a base (onde a água cai), que foi o Salto Barão do Rio Branco. Isso porque, pra descer, havia uma escada — com mais de 400 degraus mas, ainda assim, uma escada —, e chegando lá embaixo pudemos sentir as gotículas que saiam da cachoeira e viajavam pelo ar.

Finalmente pude entender aquele ponto: “Nuvem de poeira d'água que sai da cascata da Deusa Oxum”.

Voltei às raízes

No começo de 2015, aconteceram algumas coisas que me fizeram meio que perder o eixo. Fui me distanciando cada vez mais de uma pessoa que eu gostava de ser, numa tentativa de fugir de uma pessoa que me machucou um bocado. De certa forma, foi bom, porque me aventurei mundo afora para descobrir coisas novas e, no fim das contas, chegar à conclusão de que em momento algum eu deixei de ser sincera comigo mesma. Sempre fui o que queria ser, sempre fiz o que pude pra me agradar, só que, pra compreender isso, eu tive que deixar de fazer todas essas coisas e me aventurar um pouco. Isso me trouxe um período de autoestima muito baixa e me fez pensar até mesmo que eu nunca seria feliz novamente. Mas em 2016 eu comecei a me encontrar de novo e foi através de coisas pequenas que voltei a ser o que me fazia feliz: eu mesma. ♥

Mein Teil @ Jimmi's Pub

Talvez isso pareça meio puxa saco, mas o show da Mein Teil no Jimmi's Pub foi um tesão. Não só pelo show, mas por tudo: a viagem, o local, as pessoas. A banda tinha acabado de passar por grandes mudanças e foi um dos melhores shows que vi. Certo que sou suspeita pra falar em shows porque fui em poucos — e realmente não é a minha praia —, mas os caras realmente fizeram um trabalho bacana nesse dia. Ah, vale lembrar que era especial de Halloween, ou seja, o público tava todo fantasiado também, HAUHAUAHA.

Bernardo, o Gato

Esse ano também fui presenteada com um lindo gato laranja de olhos amarelos. Ele chegou aqui em casa miúdo, podia ficar nos meus ombros, e agora já tá gigante. Parece que foi ontem que meus pais discutiram qual seria o nome do bicho, e agora ele já está um adulto. Como crescem rápido. ;O;

O engraçado é que tenho um amigo da faculdade chamado Bernardo e, sempre que contava pra minha amiga alguma peripécia do gato, precisava falar “Bernardo, o gato”, pra não fica confuso. Afinal, seria esquisito dizer que “ontem o Bernardo tava amassando pãozinho na minha barriga” sem especificar qual dos dois era, risos.

Me tornei médium de toco

Dentro da Umbanda, os médiuns vão desenvolvendo sua mediunidade para, um dia, se tornarem médiuns de toco, ou seja, incorporar entidades e dar consultas às pessoas necessitadas. Cada um tem o seu próprio tempo para fazer isso. Tem pessoas que estão na Umbanda há anos e ainda não desenvolveram o suficiente, enquanto tem outras que começaram em menos de um ano (meu caso). Isso não tem a ver apenas com o médium e o quanto ele se esforça, mas tem vários outros fatores que impedem um médium de evoluir tão rápido, ou que fazem com que ele vá para o toco mais cedo.

Em janeiro de 2016, eu entrei para a corrente mediúnica de um terreiro e comecei a desenvolver minha mediunidade. Em setembro de 2016, eu estava no toco, dando consultas. Isso não quer dizer que eu sou melhor do que ninguém, apenas que a “minha hora” chegou mais cedo. É uma grande honra estar nessa posição, e uma enorme responsabilidade também, pois exige que o médium consiga se conectar profundamente com a entidade e deixar ela falar através de seu corpo, o que pode ser bem difícil para alguns — especialmente para os que pensam demais, tipo eu.

Enfim, achei que ia demorar alguns anos até que eu chegasse nessa posição, mas felizmente cá estamos e tentamos, cada dia mais, ajudar mais pessoas. ♥

Alkymist

Tecnicamente, o Alkymist é uma coisa que só surgirá no ano que vem, mas comecei a trabalhar nele em 2016 e isso me fez extremamente feliz nessa reta final porque foi a realização de um sonho. Sempre quis ter um domínio, um blog com Wordpress etc., pra “profissionalizar” mesmo uma coisa que eu amo muito fazer: blogar. Não estou atrás de dinheiro ou de fama, estou atrás de realização pessoal, e acredito que o Alkymist me ajudará muito nisso.

Em 2017, preparem-se para um novo blog, com novas premissas, mas com o meu jeitinho de blogar. ♥

Clique na imagem para ir ao site

Com isso, declaro que este é o último post aqui no Vercthu. Não do ano, da vida mesmo. Quem sabe um dia eu volte pra cá (domínios custam dinheiro e dinheiro custa ganhar, né nom), mas esperamos que essa seja uma possibilidade remota, HAHAH.

Desejo à todos um ótimo Ano Novo! ♥

11 comentários

  1. Minha avó tinha um terreiro e eu convivi com os santos por todos os lados da casa (e a premissa de que Iansã me protege) mas nunca segui a religião. Tenho uma espiritualidade bem elevada e sei que sou protegida pelos fortes <3
    2016 também me trouxe um amor, um amor tão louco que nos casamos em menos de 4 meses e agora vivo na terra do Papai Noel.
    Não entendo as pessoas reclamando de 2016 sendo que quem faz o ano somos nós, com nossas escolhas.
    Adorei o post!
    ps: cheguei a conhecer os seres do Motionless em um Show em Sampa. Eles são TODOS fofíssimos!
    Prosperidade!
    A Bela, não a Fera blog | A Bela, não a Fera Youtube | Converse comigo no Twitter!

    ResponderExcluir
  2. Oi, linda!
    Encontrei o Verchtu já na finaleira e de cara tenho um pedido pra te fazer: assim que lançar o outro blog, posta aqui pra todo mundo que te segue (vou te seguir) ficar sabendo e já poder seguir o outro, pode ser?
    Fico feliz que você esteja tão em contato com sua espiritualidade, 2016 foi o ano que finalmente senti isso, depois de todos os anos sentindo algo que eu não conseguia entender, mas que me fazia bem. Esse ano descobri quem são meus orixás, ano que vem eu quero conhecer mais a umbanda!
    Muito fodas os shows que você foi, esse ano não fui em nenhum, mas 2017 tá aí pra mudar isso, né? <3 Espero que 2017 seja um ano ainda mais rico em experiências pra você!

    Beijão, sua linda!
    www.vultuspersefone.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Olá, Mary! Minha primeira e, talvez, última visita ao Vercthu - nos vemos no Alkymist. Adorei sua retrospectiva, sobretudo quando mencionou sobre suas raízes. Assim como você, em 2015, me afastei da minha essência, em virtude de tristezas. Me senti perdida... Nesse ano que passou, me encontrei aos poucos, de modo que estou bem com quem sou, novamente.

    Sinto que apesar dos pesares, 2016 nos colocou nos eixos!

    Feliz 2017! ❤

    ResponderExcluir
  4. Quantos momentos lindos em seu ano!
    Fico feliz por você! ^^
    Que 2017 venha ainda mais recheado de momentos assim.
    E boa sorte com o novo blog!
    bjin

    http://monevenzel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Bitcha linda maravilhosa! Vou ignorar o fato de não ter nadica do nosso encontro nessa parada aí, mas vou EXALTAR DEMAIS O FATO DE VOCÊ TER SUPERADO AQUELAS BAD TUDO E ESTÁ FELIZ AGORA, AEEEE! <3 Tô feliz demais que tenha superado a bad do namoro também! Felicidades sua linda! <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredita se eu disser que ESQUECI que nosso encontro foi em 2016?? GENTE, ACHEI QUE TINHA SIDO ANTES ÇLMASÇLDMÇEMFLKAS

      Parece que faz tanto tempo :( Volta pra cá! ;; ÇLMSÇDMLAD

      Excluir
  6. Vi seu novo Blog e ta lindooo! Ahase!
    Batismo na Umbanda, que lindo *-*, acho um segmento religioso lindo e parabéns pela mediunidade e o novo namorado tbm!
    Bjins

    http://ladydarks.blogspót.com.br ♥

    ResponderExcluir
  7. O Alkymist tá lindo!! Espero ver muitos posts por lá! Gatinhos deixaram o ano de muita gente mais bonito :3 Parabéns pelo batismo, não conheço a religião, mas a respeito muito!
    Bjoo, e que vc tenha um ótimo ano!

    ResponderExcluir
  8. Batismo na Umbanda, que máximo heuhe.
    Momentos incriveis que teve não é?

    Chu~

    https://mundo-mikas.blogspot.com.br/ ❤

    ResponderExcluir
  9. HEEEEY

    mesmo você mudando de blog, não me abandona não :( me identifico bastantão com você!
    aliás... lendo sobre seu batismo e sua mediunidade, eu queria até pedir uns conselhos, viu. De verdade mesmo. Venho buscando alguém pra me ajudar e você parece alguém que possa, mesmo a distancia, me dar alguma luz *-*

    e se você é catlover, só pode ser puro amor <333333

    beeeeeeeijo
    beinghellz.com

    ResponderExcluir
  10. Olha menina! Eu compartilho da experiência do batismo na Umbanda, e realmente é um dos melhores dia da vida! Fiquei empatada entre meu batismo na umbanda e minha iniciação no Druidismo, mas é legal saber que existem outras bruxas umbandistas por aí haha! adorei seu blog beijoo ;*

    ResponderExcluir