Páginas

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Meu namorado e a sua capacidade de me viciar em (quase) qualquer banda

Título alternativo: Meu namorado é mó otário (mas tem um gosto musical maravilhoso) *

Como todos bem sabem, eu sou eclética pra cacete. E é justamente por isso que sempre que me envolvo com alguém — seja num nível mais romântico ou só amizade mesmo —, uma das coisas que mais gosto de fazer é ouvir as bandas favoritas da pessoa. Inlcusive tem duas coisas que eu adoro trocar com as pessoas (e não, carícias não é uma delas): textos e música. Quando digo textos, falo de coisa autoral mesmo. Mas música pode ser qualquer coisa que a pessoa curta, ou que ela ache que eu vá gostar, e uma das coisas que eu mais amo ouvir é “essa música me lembra a você”. Eu sou do tipo que vive associando músicas a pessoas, então fico bem feliz quando fazem o mesmo comigo — embora, é claro, seja meio triste quando a música é down vibes, haha.

O fato é que meu namorado tem um gosto musical maravilhoso. E é muito difícil, pra mim, admitir isso. Basicamente porque a banda favorita dele é uma das que eu mais evitava ouvir por puro preconceito. Mas que bom que a vida vem e nos joga um boy maneiro com gostos e opiniões que fazem você se questionar e crescer como pessoa, não é mesmo?

Ok, tudo bem, às vezes eu pego ele cantando Britney Spears e isso me assusta um pouco, mas em geral eu adoro os momentos nos quais estamos juntos e ele fica me mostrando as músicas que tem ouvido. Me pergunto se gosto da música em si ou da empolgação dele nesse processo todo, mas confesso que tem certas músicas que eu preciso anotar o nome pra não esquecer depois porque eu simplesmente acho um tesão (ai, ai, adoro o duplo sentido que essa situação toda proporciona).

Confesso que, em uma de nossas primeiras conversas, quando fiquei sabendo que sua banda favorita era Motionless in White, já pensei “eita, esse rapaz tem uns gostos fracos”. Acontece que eu só tinha ouvido tal banda uma vez na vida, e uma música que realmente não me agrada tanto assim. Fui sincera com ele, disse que não gostava muito da banda, e ele insistiu em me mostrar outras coisas deles. Mandou uma música. Depois outra. Quando nos encontramos, me fez ouvir outra. Quando eu vi, meu last.fm já estava assim:

Meus artistas mais ouvidos nos últimos 90 dias

Que que tá acontecendo comigo, minha gente? Eu, que jurava que jamais ia curtir uma banda tipo Motionless in White, de repente me vi viciada. Pouco tempo depois, ele me mostrou We Butter the Bread With Butter, pela qual eu simplesmente me apaixonei. Já Rammstein também só me conquistou depois que conheci ele — ou, mais precisamente, a banda cover dele.

Como eu disse, costumo absorver o gosto musical das pessoas — desde que me agrade, é claro —, mas em geral não vicio em tantas bandas de uma vez só. Não sei se é esse moço que tem uma capacidade danada de me fazer me apaixonar pelas coisas que ele curte ou se ele realmente tem um gosto muito bom.

Quem sabe seja os dois. Quem sabe eu só precisava de coisas novas pra ouvir. Quem sabe?

* Caso você não tenha entendido, o título é uma paráfrase de MC Carol. Meu namorado não é mó otário e (infelizmente) não lava minhas calcinhas.

Um comentário

  1. Não entendi mesmo a referência do título, desculpa! Acho que não sou tão eclética quanto você, haha. =P

    Mas em uma coisa eu concordo: é sempre muito lisonjeador quando uma pessoa se lembra de mim por ter visto ou ouvido algo, música, filme, seriado, gif (né? hehe). Dá uma aquecidinha boa no coração, é muito gostoso. <3

    E assim, não me considero a maior fã de Rammstein, mas ouço esporadicamente por causa do meu irmão, que é viciado. Principalmente quando é ele quem está dirigindo ou resolve arrumar o quarto, é sempre Rammstein que toca.

    Um beijo!

    ResponderExcluir